© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25

Autoestima: Como está a sua?

Como está a sua autoestima? Talvez você responda essa pergunta dizendo que vai tudo bem.  Afinal de contas você vai ao cabeleireiro, sempre compra roupas novas para você e está cuidando do seu corpo muito bem, obrigada! Mas o fato é que tudo isso não diz respeito a autoestima necessariamente.

 

Se eu  perguntasse para você leitora o que é a autoestima, tenho certeza que você teria uma definição muito boa, como: É a estima que tenho por mim mesma, ou seja, o quanto me valorizo, o quanto me quero bem, o quanto me aceito.

 

Tudo isso é verdade, mas vamos aprofundar um pouquinho mais essa definição? Podemos acrescentar a essas definições que autoestima é um ato de amor e confiança consigo mesmo. Juntamos assim dois ingredientes para termos uma autoestima verdadeira: o amor próprio e a confiança.

 

Vou provar para você porque esses dois ingredientes precisam estar juntos.

 

Muitas pessoas tem amor próprio, mas não tem confiança em suas atitudes. O que acontece com esse grupo de pessoas é que sempre terão tendência a se vitimizar. Afinal de contas, "Eu sei que eu mereço, mas eu não consigo, eu não tenho capacidade e eu não vou fazer"

 

Por outro lado, podemos pensar em pessoas que tem confiança, mas não tem amor próprio. Esse grupo de pessoas vai sempre conquistar, fazer e ter, mas terão dificuldade em se aceitar e se amar como são.

 

Você acha que é fácil cultivar esses dois ingredientes? Não é fácil, não! Quem nunca deixou de lado sua própria vontade para agradar o outro? Quem nunca duvidou da sua capacidade? Quem nunca desejou ter um corpo ideal?

 

Todos esses questionamentos são gerados pela preocupação demasiada que temos com a opinião dos outros sobre nós mesmas: Será que ele vai gostar de mim? Será que esse trabalho está bom o suficiente? Será que estão gostando da minha conversa? Será que passei uma boa impressão?

 

Sim, muitas vezes deixamos de lado a nossa opinião e autopercepção em detrimento da aprovação do outro. Como se a opinião do outro fosse mais importante do que a que tenho sobre mim.

 

Deixo aqui uma reflexão: Por que a percepção do outro é tão impactante sobre mim?

 

Sim, acabamos nos desvalorizando e alimentando a insegurança. Desenvolvemos assim, a dependência do favor do outro, uma vez que é ele quem deve falar se sou ou não capaz e quais são minhas virtudes. Essa dependência favorece a baixa estima e nos anula diante do mundo e de nossa história de vida.

 

Vamos reverter esse quadro? Que tal olharmos para dentro e encontramos algo valoroso em nós mesmas? Talvez seja só o início de uma jornada, mas o caminho poderá revelar algo surpreendente para você.

 

Sabe, a autoestima, é como uma plantinha que deve ser regada diariamente. Quando começamos a ter atitudes de cuidado e carinho com a gente mesmo, essa plantinha que antes era pequeninha, cresce e se torna forte, bela e viva.

 

Não existe ninguém melhor do que nós mesmas para conhecermos nossos defeitos e nossas qualidades. Cabe a cada uma extrair o melhor perfume de si mesma...

 

Apaixonar-se pela mesma pessoa todos os dias é um desafio e uma aventura ao mesmo tempo, ainda mais quando essa pessoa é você mesma. Mas que seja um lindo amor....

 

E que seja eterno!

 

Daniela Knapp Vargas

Psicóloga Clínica e Coach de Mulheres

CRP 08/16950

Atendimento presencial em Curitiba PR

Agendamento de consulta: (41) 9 9944-9346

Site: www.realmentemulher.com.br

Facebook: www.facebook.com/realmentemulher

Instagram: Psicóloga Daniela Knapp

E-mail: psicologadanielaknapp@gmail.co

Please reload