© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25

O que muda depois do casamento?

07/07/2016

Você com certeza já ouviu falar que depois do casamento tudo muda! Bom, podemos dizer que é relativamente comum que a relação mude em certos aspectos, principalmente porque no início do casamento existe uma fase de adaptação para uma nova vida a dois. Nessa  fase inicial as diferenças entre namoro e casamento começam a surgir e elas tendem a se intensificar com o passar do tempo.

 

Mas em quais áreas podemos perceber essas diferenças?

 

Falta de cuidado com a aparência

 

É natural que os namorados se arrumem para se encontrar. Vestir  uma roupa legal, colocar um perfume e cuidar da sua aparência faz parte de um jogo de sedução. É quase como um ritual, uma preparação que acontece antes do encontro.

 

No casamento esse ritual é substituído pela intimidade. O casal não sai mais para se encontrar, pois já estão um com o outro.  Não é mais necessário mostrar a sua melhor aparência, pois ambos já se conhecem e já estão acostumados um com o outro.

 

Além disso, depois do casamento acontece uma acomodação em relação a seduzir o parceiro, uma vez que ambos sentem que já conquistaram um ao outro.  Então, percebe-se que é muito fácil cair na armadilha da acomodação e não se esforçar mais pelo outro.

 

Mas a dica aqui é que continuar agradando o parceiro, tendo certo cuidado com a aparência e as roupas usadas em casa. É necessário se esforçar...

 

Rotina

 

É inevitável que a rotina atrapalhe o romantismo do casal. Antes do casamento, geralmente existe uma novidade e um "frio na barriga" em cada encontro... é a fase da descoberta! O casal quer se conhecer, entender um ao outro, saber do que o outro gosta ou não gosta.  E tudo isso é muito interessante, pois instiga a curiosidade de ambos.

 

Além disso, a falta de ter um lugar somente do casal faz com que haja um esforço para fazer atividades fora de casa como: passear, jantar, viajar... Depois do casamento o casal geralmente prefere curtir a casa e as atividades que antes eram mais frequentes, agora podem acontecer esporadicamente. É preciso tomar cuidado, porque a rotina do dia-a-dia facilmente pode sufocar o casal.

 

Após o casamento a fase da descoberta geralmente já não é tão intensa e há cada ano que passa o casal se conhece cada vez mais, sendo capaz até de prever certas reações do cônjuge, aquele famoso "frio na barriga" geralmente acaba e é substituído pela admiração e respeito.  A dica aqui é não deixar o romantismo de lado, crie momentos há dois para resgatar a paixão e sair da rotina.

 

Ficar muito tempo junto

 

Namorados não se encontram o tempo todo, por isso desfrutam da saudades de estar com o outro.  Há espaço para sentir saudade e os encontros são sempre emocionantes e cheios de paixão.

 

Já no casamento é justamente ao contrário, geralmente o casal fica a maior parte do tempo junto, sem tempo de sentir saudades um do outro. E isso não significa que esse tempo que o casal passa junto seja de qualidade, pelo contrário muitas vezes o estar junto é para fazer atividades de rotina. Assim o casal começa a criticar muito mais do que a admirar. Além do mais,  ver o parceiro todos os dias tira um pouco da ansiedade e da emoção de estar com o outro.

 

É necessário que o casal encontre momentos para estar a dois, não somente na rotina, mas sim desfrutando da companhia um do outro. Tempo para se curtir e conversar a fim de preservar a admiração e o carinho pelo outro.

 

Perda da individualidade

 

No namoro é mais fácil preservar a individualidade de cada um. A vida não se resume apenas ao relacionamento à dois, mas aos encontros com amigos, as festas de família, a faculdade e tantas outras atividades...

 

Uma queixa muito comum no casamento é que não há espaço para se fazer coisas fora da vida a dois. Muitos casais não entendem que o casamento implica em "tres pessoas" : o marido, a esposa e o casal. O que isso significa? Bom, significa que é necessário manter uma certa individualidade com espaço para cada um fazer aquilo que gosta. É importante que o casal faça combinados e entre em acordo para que cada um possa desfrutar de um tempo para si mesmo.

 

Brigas

 

No namoro quando acontece uma briga cada um vai para sua casa, tendo tempo inclusive de esfriar a cabeça e pensar em uma possibilidade de reconciliação.

 

No casamento as brigas acontecem sob o mesmo teto e mais do que isso, o casal ainda vai dormir na mesma cama! Isso mesmo. O casamento exige uma competência bem aprimorada de resolver conflitos de uma forma mais rápida e eficaz.

 

Não é bom que o casal acumule desavenças e discussões, quanto mais o diálogo for desenvolvido na relação, mais rapidamente o casal chegará em um acordo sobre qualquer situação a ser enfrentada.

 

Cumprimento de papéis

 

No namoro, embora hajam algumas responsabilidades elas não são tão intensas quanto depois do casamento: pagar contas, arrumar a casa, assumir novas responsabilidades pode ser muito desgastante para o casal.

 

Além disso, as expectativas em relação ao cônjuge sofrem algumas modificações, pois cada um traz da sua família de origem um modelo de esposa e um modelo de marido, geralmente inspirado na relação dos pais. Porém esses modelos não devem servir de orientação para o casal, mas sim de inspiração. É necessário que cada um seda e tenha flexibilidade para que ambos criem seu próprio modelo de família.

 

Obrigações sociais

 

Se no namoro não existia cobrança em relação a visitar a sogra ou ir no aniversário daquele parente chato da família, depois que a união é oficializada a pressão para comparecer nesse tipo de evento fica cada vez maior.

 

A solução aqui é o diálogo entre o casal, que deve dosar até que ponto esse esforço vale a pena, ou seja, é um sacrifício que traz benefícios e até que ponto a situação causa mal e prejudica a relação. Se cada um tiver um pouco de flexibilidade é possível chegar a um consenso.

 

Talvez você se pergunte: Será que vale a pena casar, depois de todas essas afirmações? O fato é que no namoro construímos um laço de paixão e sedução e no casamento esse laço é substituído pela construção de um laço mais profundo que se chama AMOR. Se vale a pena? Eu diria que só os casados vão experimentar  o que é realmente amar e criar um vínculo profundo de carinho, respeito e afeto apesar das diversidades e diferenças. Isso tudo é um privilégio reservado somente para os casados...

 

Daniela Knapp Vargas

Psicóloga Clínica e Coach de Mulheres

CRP 08/16950

Atendimento presencial em Curitiba PR

Agendamento de consulta: (41) 9 9944-9346

Site: www.realmentemulher.com.br

Facebook: www.facebook.com/realmentemulher

Instagram: Psicóloga Daniela Knapp

E-mail: psicologadanielaknapp@gmail.com

 

 

Please reload