© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25

Luto e perda: suas fases e como superar

11/02/2016

Ao contrário do que se imagina, o luto não acontece somente em reação a morte de alguém querido. Na realidade, o luto é um processo que acontece frente a qualquer perda que uma pessoa possa sofrer. Essa perda pode ser tanto concreta como abstrata, por exemplo: a perda de um emprego, o término de um relacionamento ou a decepção que traz o fim da imagem de uma pessoa idealizada.

 

Para que você entenda melhor, podemos considerar que toda a mudança traz consigo uma reação de luto. Mas o que o luto tem a ver com a mudança? Parece complicado, mas é algo muito simples. Toda a mudança implica em deixar algo morrer para que algo novo venha a nascer. Por exemplo, o nascimento de um filho é uma mudança muito significativa na vida de um casal, esse processo de mudança pode desencadear um processo de luto. Mas o que morreu com o nascimento do filho? Morreu o casal sem filhos, a mulher independente, os horários livres, a despreocupação entre tantas outras coisas. Dessa forma, nasce uma nova configuração de família. Portanto o processo de luto é muito mais abrangente do que a maioria das pessoas pensa e se aplica a várias situações.

 

 

 

Podemos pensar que as fases do luto mudam de situação para situação e variam de intensidade. Perdas de pessoas queridas podem propiciar um luto de longa duração e com grande intensidade. Já uma mudança pequena como uma nova chefia no trabalho pode propiciar um processo de luto de horas ou dias e de baixa intensidade.

 

Cada pessoa e situação pode fazer emergir um processo de luto diferente, mas basicamente podemos descrever cinco fases:

 

Negação:  Nessa fase o choque da notícia geralmente faz com que se tenha pensamentos como: "Não acredito que isso aconteceu" " Não pode ser verdade". Muitas pessoas relatam também o sentimento de estar sem chão.

 

Raiva:  É a fase de ressentimento e revolta quando a pessoa percebe a perda. O pensamento recorrente aqui é "Porque eu?" "Porque isso aconteceu comigo?"

 

Negociação:  Essa fase acontece quando a pessoa começa a se conscientizar sobre a perda. Geralmente existe uma tentativa de negociação:  "Se meu pai for curado do cancêr, eu paro de fumar"

 

Depressão: É a fase da tristeza, desolação e do medo. Não deve ser confundida com a doença, pois é apenas uma fase com início e fim determinados.

 

Aceitação: A pessoa aprende a conviver com a perda, aceitando a nova forma de viver. Essa fase não significa esquecer da dor, mas superá-la e seguir em frente.

 

É importante ressaltar que essas fases não são obrigatórias para todos e não seguem necessariamente essa sequência.

 

Como superar o luto?

 

  • Você não precisa ser forte

Chorar, sentir dor e expor sua fraqueza é um direito seu. Portanto, permita-se sentir o sofrimento sem tentar amenizá-lo. O silenciar dos sentimentos pode ser muito prejudicial nesse momento e suas consequências podem ser sentidas anos após passada a situação.

 

  • Dê tempo ao tempo

Não adianta se comparar com os outros, cada pessoa tem o seu tempo. As fases de luto podem acontecer de forma muito rápida ou demorar bastante. Portanto, seja paciente com você mesmo.

 

  • Procure apoio

Você não está sozinha. Portanto deve procurar apoio em pessoas que estão sofrendo junto com você ou que já passaram por situações parecidas. Essa ajuda mútua poderá ser muito benéfica para a superação da dor sentida.

 

  • Procure ajuda de um profissional

Caso exista a suspeita de que o luto evoluiu para algo mais grave, o indicado é buscar ajuda, principalmente se o luto desencadear ou vir acompanhado de uma forte depressão. Lutos que se estendem a mais de 2 anos também devem ser investigados.

 

Por mais dolorida que uma situação possa parecer, o ser humano carrega dentro de si uma força de superação incrível. Superar uma experiência de perda pode proporcionar uma nova perspectiva sobre a vida, amadurecimento pessoal e desenvolvimento de resiliência.

 

 

Meu nome é Daniela Knapp, sou psicóloga clínica e coach e acredito que todas nós merecemos um tempo especial para cuidarmos de nós mesmas, da nossa saúde emocional e do nosso bem-estar. Esse site foi criado com o intuito de termos um espaço para a troca de experiências, conhecimentos e para falarmos um pouco sobre nós mulheres! Fique à vontade para entrar em contato comigo. Você é sempre bem-vinda por aqui!

Please reload