© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25

Sentimentos negativos no final de ano? Confira quais são e porque acontecem

21/12/2015

"Eu odeio o natal" Quem nunca ouviu essa frase?  Afinal, quais sentimentos estão por trás dessa declaração?

 

Muitas festas, muitas comemorações e muitas emoções. Sim! O natal e final de ano despertam em todos nós muitos sentimentos. Existe uma pressão externa para que esse momento seja de muita alegria, basta andar nas ruas e reparar as músicas, o agito e as luzes.

 

Porém, todo esse clima criado é algo totalmente externo: Vem das ruas, dos enfeites, dos presentes e de outros tantos estímulos.  Mas e internamente? Quais sentimentos essa época do ano provoca em você?

 

Apesar de socialmente haver um esforço para se comemorar o ano que passou e o que poderá vir a ser bom no ano que se inicia, muitas pessoas relatam sentimentos negativos de angústia, solidão e medo nessa época do ano. Algumas, inclusive vivenciam esses sentimentos tão intensamente que entram em depressão, pânico e ansiedade profunda.

 

O sentimento é mais ou menos parecido com o dia de domingo, quando você está assistindo o final do fantástico e vem aquele pensamento: O final de semana acabou! Amanhã começa tudo de novo...

 

O único agravante é que esse mal-estar é muito mais forte do que os sentimentos que vem a tona no domingo à noite, uma vez que diz respeito ao ano inteiro que se passou.

 

Entenda alguns sentimentos negativos que podem acontecer. Você se identifica com algum deles?

 

FRUSTRAÇÃO

 

Frustração é um sentimento que ocorre quando algo que era esperado não aconteceu.  Essa emoção  é intensificada , quando as expectativas eram maiores do que aquilo que se conseguiu alcançar.

 

Quais eram suas expectativas para 2015?

 

Sim! O ano de2015 está  terminando e dia 31 de dezembro marca com exatidão tudo aquilo que se foi e que se perdeu, trazendo a frustração dos sonhos não realizados.

 

A sensação de perda pode ser intensa. E falo aqui de uma perda abstrata, que muitas vezes não é palpável. Mas, afinal, o que se perdeu? Se perdeu o ano que se passou, os sonhos e expectativas junto com ele.

 

CULPA

 

A culpa diz respeito aos sentimentos que acontecem quando fazemos algo que não gostaríamos de ter feito ou quando não fizemos aquilo que deveríamos ter feito. Esse sentimento é muito comum nessa época.

 

No final do ano a maioria das pessoas faz aquele balanço geral, contabilizando aquilo que passou e avaliando o que fizeram ou deixaram de fazer.  Mas quando o balanço fica no negativo?  Sim, a frustração toma conta, gerando culpa, autocrítica e tristezas.

 

"Ah! Se eu tivesse..." Essa  frase é frequentemente usada por aqueles que tem esse sentimento.   O problema é que na medida em que se lamenta, se permanece na mesma escolha. A pessoa que sente culpa revela que seu presente está paralisado por aquilo que passou.

 

ANGÚSTIA

 

Enquanto a culpa se relaciona ao que se passou, a angústia se dá frente ao futuro. Ao olhar para 2016 esse sentimento surge quando percebemos as possibilidades futuras.

 

Fazer escolhas implica em risco para cada uma delas, pois deixamos para trás muitas outras possibilidades. O temor por fazer escolhas erradas pode paralisar na medida em que se acredita que não escolher é o melhor caminho.  Essa paralisia aumenta a sensação de angústia frente ao futuro.

 

SOLIDÃO

 

A solidão é um sentimento no qual a pessoa tem uma sensação de vazio e isolamento. E pode ser muito intenso,  na medida em que socialmente se acredita que estar sozinho demonstra fracasso nas relações sociais.

 

As festas e confraternizações curiosamente contribuem para esse sentimento, principalmente para aqueles que moram sozinhos ou distantes da família. Perdas de pessoas queridas também intensificam esse sentimento.

 

STRESS

 

Reuniões de família? Para muitos são momentos prazerosos, já para outros são muito stressantes.

 

Aquele parente que você evita o ano todo, nessa época inevitavelmente será lembrado nas festividades, por estar ou não presente.  E esse rompimento de relações familiares é lembrado com incômodo e, muitas vezes, com dor.

 

SENTIMENTO DE FINITUDE

 

A verdade é que é inevitável: O ano novo chega para todos! E essa contagem de tempo nos lembra da nossa finitude, outra fonte de angústias. Não tem como fugir: Todos nós estamos aqui de passagem. 

 

Sim!  A finitude do tempo e da vida aumentam a sensação de angústia no final de ano.

 

Mas como podemos reverter essa situação e termos sentimentos mais positivos nessa época? É claro que não podemos resolver questões tão profundas de forma tão simplista,  e acredito que, se esses sentimentos estão muito intensos, o mais indicado é que você procure um psicólogo. Mas gostaria de contribuir com algumas reflexões para ajudar a amenizar o stress que pode surgir nessa época.

  • Aproveite as festividades para fortalecer seu vínculo familiar

  • Não se culpe por objetivos não alcançados, apenas reflita sobre sua responsabilidade na não realização dos planos e, lembre-se que nada impede você de realizá-los no ano que vem.

  • Ache prazer em pequenas realizações e momentos do dia. Perceba os pequenos progressos ao invés de focar somente naquilo que não vai bem.

  • Pense  em momentos bons que teve no ano que passou ao invés de pensar somente nos momentos ruins.

  • Estabeleça metas viáveis para o próximo ano, isso ajudará você a diminuir a ansiedade.

 

Reflexão: De que maneira você quer passar o final de ano?

 

 

Daniela Knapp Vargas

Psicóloga Clínica e Coach de Mulheres

CRP 08/16950

Atendimento presencial em Curitiba PR

Agendamento de consulta: (41) 9 9944-9346

Site: www.realmentemulher.com.br

Facebook: www.facebook.com/realmentemulher

Instagram: Psicóloga Daniela Knapp

E-mail: psicologadanielaknapp@gmail.com

Please reload