© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25

Meu filho adolescente está namorando. E agora?

16/12/2015

É hora de encarar a realidade: seu bebezinho cresceu! Não parece que foi ontem? Tantas fraldas, colos, brincadeiras, carinhos...  O tempo passou rápido demais e agora seu "bebezinho" está namorando... Sim, é hora de encarar os fatos e as mudanças que estão acontecendo!

 

 

 

A primeira coisa que você precisa entender é que os adolescentes não encaram o namoro da mesma forma como os adultos.  Em geral, os pais tem uma tendência natural de não valorizar a relevância e o significado do namoro na adolescência e percebem o relacionamento como superficial e passageiro. Cá entre nós? Pode até ser que realmente seja passageiro e superficial, mas para o adolescente o relacionamento é muito sério e para sempre.  Por esse motivo, é essencial exercer empatia com seu filho/a adolescente para que você possa entender e compreender tudo o que acontece no namoro. Conflitos e términos, por exemplo, por mais que pareçam irrelevantes para você, na visão do filho adolescente,  podem ser situações muito graves.

 

Algumas dicas podem te ajudar a passar por essa fase:

 

Converse diariamente

Manter um diálogo positivo e se interessar pelos assuntos do filho/a constrói uma relação de cumplicidade e amizade, que facilitará a exposição de algum problema que você identifique no namoro. Essa relação também facilitará a comunicação do seu filho/a com você quando algo importante acontecer.

 

Mantenha o diálogo aberto

Não basta somente conversar é preciso manter a abertura. Você pode estar pensando: "Meu filho/a desafia a minha autoridade  e muitas vezes opta por passar mais tempo com os amigos do que comigo. Como ter certeza que ele vai me contar coisas importantes?"  Por incrível que pareça, a maioria dos adolescentes ainda recorrem aos pais nos momentos difíceis. Por isso, permita que o adolescente tenha sentimentos positivos ao compartilhar algo com você e que ele tenha liberdade para falar sobre temas importantes de vida, assim você vai estabelecer um vínculo de amizade e confiança para que ele fale sobre qualquer assunto.

 

Seja exemplo

Você acha que seu filho/a segue seu exemplo somente na infância? A verdade é que os pais são exemplos para os filhos a vida inteira, principalmente na adolescência. Lembre-se que o seu filho/a provavelmente vai repetir no namoro atitudes aprendidas com você, a partir da observação do seu comportamento, no relacionamento com seu marido.

 

Construa uma base segura

Seu filho/a só quer saber dos amigos e namorado/a? Mantenha a calma, esse é um processo normal em consequência da necessidade de independência do adolescente. Naturalmente o adolescente passa progressivamente a investir menos tempo com a família e mais tempo com os amigos, namorado/a e na escola.  Mas é importante você saber que mesmo que o adolescente tenha essa tendência, ele ainda vai continuar recorrer a você na procura de valores e de uma base segura a partir da qual ele possa se desenvolver.

 

Mantenha uma relação de respeito

Manter uma relação com o filho/a baseada no afeto, proximidade e aceitação promove a autonomia, independência e maturidade. Você sabia que ao transmitir essas características ao seu filho/a você não está ajudando somente a construir uma relação saudável entre vocês dois? É isso mesmo, você também está ensinando o adolescente a manter relações amorosas mais saudáveis.

 

Faça acordos

Você  lembra o que conversamos no início? Para o adolescente o namoro é algo importante...  O problema é que muitas vezes ele pode deixar de cumprir suas obrigações porque só pensa na namorada/o.  A melhor solução aqui é fazer ele entender a importância de cumprir com suas tarefas  e estabelecer trocas, por exemplo: quando tiver provas ele precisa prometer que vai estudar no dia anterior para poder sair com o namorado/a no final de semana.

 

Esteja por perto

Observe e conheça o namorado/a do seu filho/a.  Esse namorado/a é uma boa influência? Se não for é hora de orientar e alertar o adolescente. Outra observação importante a fazer é perceber se a relação é sadia ou se está tomando rumos que possam prejudicar o seu filho/a. Mas lembre-se que preservar o espaço deles também é importante. Uma dica é convidar o namorado/a para vir na sua casa. Assim você vai conseguir observar melhor a relação e tirar suas conclusões. Mas cuidado! Não sufoque os dois, liberdade nessa fase é o que o adolescente mais quer e se ele se sentir pressionado, provavelmente irá preferir ir em outros lugares.

 

Mantenha os limites

Não mude as regras em relação a horários, estudos e afazeres em casa só porque o seu filho/a começou a namorar.  O namoro deve acontecer sem modificações nas responsabilidades que o adolescente já tinha. Lembre-se, que seu bebezinho cresceu, mas você ainda é autoridade.

 

Evite proibições

Se você proibir, o adolescente provavelmente fará escondido. Direcionar, conversar e fazer acordos é a melhor maneira para passar por esse momento de uma forma mais tranquila.

 

Acalme-se

Não se culpe por não saber muito bem como agir nas situações. Toda a mudança e novidade exige um tempo de adaptação.  O importante é encarar essa nova fase como algo natural.

 

Veja o namoro como algo positivo

Provavelmente você até agora só conseguiu perceber o lado negativo e preocupante do namoro, não é verdade? Mas o namoro pode sim proporcionar vários aprendizados para o adolescente como o desenvolvimento de  habilidades de negociação e empatia, por exemplo. Além disso, o namoro pode potencializar o seu sentido de identidade, desenvolver competências sociais e habilidades emocionais.  Os inícios e términos também podem promover o desenvolvimento de resiliência , ajudando o adolescente no seu desenvolvimento emocional.

 

Reflexão: Que exemplo você tem dado ao seu filho/a?

 

 

Daniela Knapp Vargas

Psicóloga Clínica e Coach de Mulheres

CRP 08/16950

Atendimento presencial em Curitiba PR

Agendamento de consulta: (41) 9 9944-9346

Site: www.realmentemulher.com.br

Facebook: www.facebook.com/realmentemulher

Instagram: Psicóloga Daniela Knapp

E-mail: psicologadanielaknapp@gmail.com

Assuntos:

Please reload