Como se livrar das birras: Algumas dicas práticas

01/12/2015

Todo mundo já viu aquela cena de escândalo no mercado: a criança chorando, os pais apavorados tentando acalmar e todo mundo em volta olhando... Seria engraçado, se não fosse constrangedor para quem está passando pela situação.

 

Na grande maioria dos casos a criança somente está comunicando aos pais que não está satisfeita e não sabe como agir adequadamente com esse sentimento. Sono, fome, tédio são alguns dos sentimentos que provavelmente a criança já estava sentindo antes daquela famosa cena acontecer.

 

 

Mas o que fazer diante da situação? Listo aqui 4 estratégias que podem ser aplicadas. É importante sempre lembrar que cada criança é uma criança e cada mãe é uma mãe. O que funciona para uma, pode não funcionar para a outra. O contexto, o momento e a idade da criança também devem ser analisados antes de você optar por uma estratégia. Por isso, minha sugestão é que você faça alguns testes até perceber o que realmente funciona com seu filho.

 

Primeira estratégia:  Ignore

Parece desumano, mas é isso mesmo! Se a criança se joga no chão e faz aquele escândalo, o melhor que você tem a fazer é virar as costas e continuar andando. Isso mesmo! Ao perceber que os pais não estão ali, a criança se sente insegura e muda de atitude. Nas primeiras birras será mais difícil fazer isso, porque a tendência da criança será aumentar o choro, mas fazendo regularmente a criança vai perceber que fazer birra não está funcionando e vai desistir.

 

Segunda estratégia:  Distraia

A birra pode acontecer simplesmente por que a criança está entediada, então em certas situações você pode chamar a atenção da criança para outra coisa mais interessante. Fazer a criança rir e se distrair pode ser um ótimo remédio.

 

Terceira estratégia:  Compare a atitude dela com a das pessoas ao redor
A criança muitas vezes só consegue perceber ela mesma. Mostrar que só ela está chorando pode ajudá-la a se sintonizar com o mundo. Para fazer isso é importante que você fique no mesmo nível da criança e tenha certeza que ela está prestando atenção no que você está dizendo.

 

Quarta estratégia: Seja firme na medida certa

Demonstre segurança com o objetivo de acalmar. Estabeleça contato físico, ou seja, coloque-se no nível dela, corrija, fale tranquilamente e  pegue no colo. 

 

Algumas atitudes são fundamentais em situações de birra:

 

1. Seja firme e mantenha a calma

A verdade é que quando a criança faz birra os pais começam a ficar muito irritados e desconfortáveis diante da situação e facilmente perdem o controle. Quando isso acontece, a criança fica mais assustada e torna a birra pior ainda. Manter a calma e ser firme na medida certa é fundamental.

 

2. Mantenha a palavra

Por falta de paciência muitos pais acabam cedendo aos desejos da criança. Esse é um erro fatal, pois os pais acabam ensinando que toda a vez que a criança faz birra ela vai receber o que ela quer, então cada vez ela fica mais autoritária. A situação acaba virando um ciclo vicioso, o que nenhuma mãe quer, não é verdade?

 

As crianças precisam aprender que nem sempre terão o que desejam e quando desejam. Como mostrar isso? Sendo firme e não cedendo as condições da criança.

 

3. Ensine através das suas atitudes

Outra forma de ensinar é ser um bom exemplo em casa. Os pais devem ser modelos para os filhos. Se em casa quando o adulto está estressado ele faz sua própria birra - bate porta, chora sem motivo, fica "emburrado" - os filhos começam a aprender que essa é a maneira adequada e correta para  lidar com a frustração, então repetem o comportamento dos pais.

 

4. Discipline

As crianças devem entender que seus atos tem consequências. Os pais devem aplicar uma disciplina proporcional, calculando adequadamente o tempo de punição, conforme a idade da criança e da gravidade da birra.

 

5. Converse

A criança ainda está em processo de aprendizagem, principalmente em relação aos seus sentimentos. Muitas vezes ela não consegue identificar o que está sentindo e como se comportar para demonstrar isso. Nesses casos, converse e assegure que ela está sendo compreendida. Os pais devem explicar que sabem como ela se sente, mas que não é possível no momento ter o que ela quer.

 

É importante ressaltar que não adianta conversar com a criança na hora da birra, pois ela está focada apenas em sua frustração e não vai ouvir. O ideal é que a conversa aconteça depois.

 

6. Valorize o bom comportamento
Ao voltar para um lugar que a criança fez birra anteriormente, um shopping por exemplo, os pais podem ajudar a criança a lembrar da situação que ocorreu e dizer que confiam nela para que não aconteça denovo. Essa é uma maneira de qualificar e mostrar que a criança pode agir diferente.

 

7.  Preste atenção aos sinais
Sentir fome e sono deixa qualquer criança irritada. Essas sensações podem facilmente se transformar em birra. Por isso, quando os pais estão em local público e percebem que a criança está cansada, o melhor a fazer é voltar para a casa. Se esforçar para manter a rotina da criança também ajuda a prevenir a birra.

 

Por mais negativo e constragedor que um momento de birra possa parecer, ele pode ser uma ótima oportunidade para ensinar que nem sempre é possível se ter o que se quer na hora que se quer. Por mais simples que essa lição possa ser, ela é muito valiosa para os filhos.

 

Para refletir: Quais são os principais valores que você tem transmitido?

 

 

Daniela Knapp Vargas

Psicóloga Clínica e Coach de Mulheres

CRP 08/16950

Atendimento presencial em Curitiba PR

Agendamento de consulta: (41) 9 9944-9346

Site: www.realmentemulher.com.br

Facebook: www.facebook.com/realmentemulher

Instagram: Psicóloga Daniela Knapp

E-mail: psicologadanielaknapp@gmail.com

Assuntos:

Please reload

© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25