© 2015 por Realmente Mulher

" Força e dignidade são os seus vestidos; Ela sorri diante do futuro"

Pv 31:25

TV Evangelizar: Existe padrão de Beleza?

25/04/2018

TV Transamérica: Saúde Emocional e Felicidade 

31/10/2016

TV Transamérica: Ansiedade de Noiva

23/05/ 2016

TV Transamérica: Como Perdoar

23/05/ 2016

TV Transamérica: Papéis da Mulher

10/06/2016

Jornal Agora São Paulo: Um pai a mais

January 17, 2016

 

"A responsabilidade de iniciar uma boa relação é do adulto, uma vez que é ele quem está chegando para compor uma nova família. Não se deve esperar essa iniciativa da criança. Cabe a ele o compromisso de conquistar e de se mostar amável, sem exageros. Além de ocupar seu espaço, respeitando a individualidade de cada um.", esclarece a psicóloga Daniela Knapp. "É claro que não é possível admitir comportamentos de rebeldia. Por mais que o adulto tenha interesse em agradar o enteado, ele não deve aceitar ser desrespeitado. Nesse caso, o mehor é conversar com os pais biológicos."

Dicas de Mulher: Ghosting: o término repentino e que não deixa explicações

January 13, 2016

Link na íntegra: http://www.dicasdemulher.com.br/ghosting/

 

“A pessoa que pratica o ghosting geralmente tem uma tendência a procurar relacionamento superficiais e rápidos, evita situações de conflito e tem dificuldade em assumir relacionamentos longos e duradouros”, comenta a psicóloga clínica Daniela Knapp Vargas.

 

Já Daniela destaca que a vítima de ghosting também pode sofrer abalo de autoestima e ter dificuldades futuras de se envolver em novos relacionamentos. Além disso, a psicóloga ressalta que a vítima não é a única a ter sequelas: “para aquele que praticou o ghosting também existem consequências, pois terá que lidar com a preocupação, com o remorso e com a culpa de ter terminado um relacionamento dessa maneira”, afirma.

Folha Universal: Viver entre o amor e o ódio faz mal à saúde

January 10, 2016

Link na íntegra: http://www.universal.org/noticia/2016/01/10/viver-entre-o-amor-e-o-odio-faz-mal-a-saude-35260.html

 

A psicóloga Daniela Knapp Vargas diz que o casamento é uma boa oportunidade de crescimento pessoal para homens e mulheres. “O ideal em um relacionamento é que cada cônjuge impulsione o outro a se desenvolver e a conquistar seus sonhos”, avalia.

 

Daniela ainda defende que o casal deve manter a própria identidade. Segundo ela, isso impede que influências externas afetem o relacionamento. “O casamento é muito influenciado por questões externas, por parentes que dão opiniões e até mesmo por situações da sociedade. Hoje em dia, parece que tudo é normal, traição é normal, falta de afeto é normal. Será? O casal deve se preservar e entender até que ponto deve se abrir ou manter a própria estrutura”, finaliza. Confira no quadro abaixo as dicas dos especialistas ouvidos pela reportagem para que o seu casamento contribua para a sua saúde.

A Tribuna: Dez desafios para mudar de vida

December 27, 2015

 

Link na íntegra: http://pdf.redetribuna.com.br/

 

A psicóloga Daniela Knapp frisou que a maioria das pessoas não consegue atingir seus objetivos porque não fez um planejamento correto e porque não sabe ainda o que quer, levando à frustração pessoal.

 

" O primeiro passo para ter sucesso é saber quais são seus objetivos. Algumas perguntas-chaves podem ajudar: Quais são seus sonhos? O que você quer conquistar? Onde você quer chegar? Depois, é importante fazer um planejamento dos passos necessários para chegar aos seu objetivo. Se necessário, divida o planejamento em várias etapas para facilitar a execução." Outra dica é contar com a ajuda de alguém.

 

"Conquistar algo sozinho nem sempre é fácil. Pedir ajuda e contar com um profissional que possa lhe incentivar e orientar é muito importante"

 

 

A Tribuna: Perguntas para evitar o divórcio

December 07, 2015

Link na íntegra:  http://pdf.redetribuna.com.br/pdf.php

 

"O fato de refletir sobre expectativas do parceiro em relação ao que se espera do casamento, entendendo como cada um exerce seu papel e funciona em relação ao outro, ajuda o casal a descobrir as reais necessidades, prioridades e sonhos de cada um."

Blog Sempre Família: Cuidado: Exagerar no trabalho pode ser fuga da vida pessoal

November 18, 2015

Link na íntegra: http://www.semprefamilia.com.br/cuidado-exagerar-no-trabalho-pode-ser-fuga-da-vida-pessoal/

 

“O limite do saudável e da compulsão pelo trabalho é delicado. Cabe a cada indivíduo refletir e analisar a sua situação atual e, se preciso, buscar um especialista para ajudar. É necessário ter cuidado porque trabalhar demais é visto pela sociedade como algo bom, sinônimo de sucesso. A pessoa geralmente não percebe que está passando dos limites, uma vez que esse comportamento é seguido de promoções, reconhecimento profissional e de aumento de salário. Geralmente a busca pela ajuda de um especialista acontece quando a situação já está fora de controle e a saúde já está comprometida”, finaliza a psicóloga Daniela Knapp.

A Tribuna: Filhos Publicam foto sensual e pais pedem ajuda a juízes

November 08, 2015

 

 

Link na íntegra:  http://pdf.redetribuna.com.br/pdf.php

 

“É responsabilidade dos pais proteger os filhos de situações de risco e de exposição. Por isso, é importante que os pais acompanhem as postagens nas redes sociais”

Folha Universal: Cuidado ao tentar agradar os outros

November 01, 2015

 

Link: http://www.universal.org/noticia/2015/11/01/cuidado-ao-tentar-agradar-aos-outros-34657.html

 

A psicóloga clínica Daniela Knapp Vargas, do Paraná, explica que o desejo de agradar a qualquer custo leva muitas pessoas a deixar de lado as próprias vontades, desejos e gostos. Segundo ela, o medo de desapontar pode se tornar uma “escravidão”.“No fundo, o importante para essa pessoa é a aprovação dos outros e a felicidade dos outros. Com o passar do tempo, sem se dar conta, ela perde a graça na vida e se sente sufocada por criar um ambiente repleto de coisas que não gosta de fazer”, avalia.

 

A especialista acrescenta que o medo de rejeição e de críticas leva muitas pessoas a situações de ansiedade, depressão e estresse. Ela lembra que dizer “não” em determinadas situações pode preservar amizades e evitar problemas emocionais. 


“A chave de tudo é equilibrar a sua individualidade com a do outro, buscar o consenso e o respeito pelo que o outro é, representa e significa para nós. Sem deixar a nossa identidade, objetivos pessoais e sonhos de lado”, afirma.

1 / 1

Please reload